Notícias

10/01/2018

ZH: Sombra para a pecuária

ZH: Sombra para a pecuária

ZH | Campo aberto | Página 10

Não é de hoje que o carrapato tira o sono dos pecuaristas gaúchos. Mas o crescimento da resistência aos produtos usados e a falta de frio no inverno estão criando ambiente ainda mais propício para o desenvolvimento do parasita. E aumentam a pressão por soluções.

- Nos últimos 20 anos, as drogas lançadas estão falhando, e não temos tido mais invernos como no passado. O pecuarista está vivendo com o problema de ter muito carrapato no campo e não ter produto para combater - afirma Ivo Kohek Junior, coordenador do serviços de doenças parasitárias da Secretaria da Agricultura e do grupo técnico de carrapato e tristeza parasitária.

O carrapato pode causar a tristeza parasitária, principal causa de morte no rebanho bovino do Estado - as estimativas são de cem mil animais por ano. E há os prejuízos econômicos: mais de R$ 350 milhões. - Isso está inviabilizando a pecuária do Rio Grande do Sul - lamenta Paulo Conceição, com propriedade em Herval, no Sul.

Uma das ferramentas que podem ajudar tem nome complicado. É o biocarrapaticidograma, análise que permite saber qual produto tem maior eficácia. Outra opção é a premunição - espécie de imunização, que ainda esbarra em dificuldades de industrialização e no pós-venda, afirma Kohek.

A gaúcha Kepler Weber Enviou para a colômbia o executivo Cristian Nunes da Cunha que, durante três anos, desempenhará a função de gestor de negócios internacionais em Bogotá. A ideia é fortalecer a marca naquele mercado.


Veja lista completa